terça-feira, 20 de junho de 2017

E por falar em "Lentezza": o Slow Food

Pois o "Festival della Lentezza" se aproxima, e provavelmente se origina, de um movimento que referi no post anterior, o "Giorno della Lentezza", um dia dedicado à conscientização sobre a necessidade de desacelerar. Neste, eram promovidas práticas como a do Passovelox, em que voluntários realizando o papel de "pardal dos passos"  pegavam, rua afora, inquietos, agitados e esbaforidos de plantão.

E o "Giorno della Lentezza" surgiu de onde? Ainda estou lendo a respeito, mas um ponto na raiz deste dia é essencial: a aproximação com outro movimento italiano, este de impacto mundial: o "Slow Food". Essa filosofia surgiu para contrapor o Fast Food, mas foi muito além desse propósito. As ideias e iniciativas do Slow Food têm se enraizado pelo mundo, através do que chamam 'convivia', conjunto dos 'convivium' individuais. A força desse movimento é cada vez maior. Aqui mesmo, no  Rio Grande do Sul,  temos a sorte de contar com excelentes nomes expressando sua voz em uma Gastronomia que ultrapassa o prato e chega na origem dos ingredientes: o produtor, a terra, o mercado.

É com um destes importantes chefs que vou conversar em julho, o Rodrigo Bellora, do restaurante Valle Rústico, em Bento Gonçalves. A prosa com o chef vai inaugurar a coluna de entrevistas do "Serendipituy in Cucina", programada para iniciar no próximo mês. Acompanhar o que ele tem feito em seu restaurante, e em seus projetos, dá una baita esperança na essência da cozinha. Essa  cozinha da ancestralidade, que nos bota em contato com o produto vindo da natureza. Essa cozinha do contato com os produtores, da retomada de rituais, da vida acontecendo nos bastidores da mesa. 

Bom, temos muito o que conversar por aqui!

Quer saber mais?
Em breve, detalhes!

Com carinho,
Betina

Figos: direto do produtor...
Ao mundo da panela...
E à mesa...




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Vou adorar compartilhar emoções culinárias com você! Com carinho, Betina